Estudantes cearenses são premiadas no Congresso da Sociedade Brasileira de Computação

quarta-feira, 16 agosto 2017

Rhayane e Cleitianne apresentaram projeto que estimula a entrada e a permanência de meninas na área de Computação

Rhayane Monteiro e Cleitianne Oliveira são alunas do curso de bacharelado em Ciência da Computação (BCC) do campus de Aracati do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Em julho, elas participaram do Congresso da Sociedade Brasileira de Computação (CSBC), na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo. No evento as estudantes apresentaram o Divas, projeto de extensão que estimula a entrada e a permanência de meninas na área de Computação.

No congresso da SBC foram mostrados os resultados iniciais da pesquisa, que está sendo desenvolvida há dois anos e visa delimitar o perfil feminino discente do curso de BCC do campus de Aracati. A programação do evento contemplava, ainda, a competição Hackathon, voltada a profissionais de tecnologia da informação e áreas afins, com o objetivo de solucionar problemas reais da sociedade.

Mulheres independentes

Em pouco mais de 24 horas, as estudantes desenvolveram, com outras duas colegas, o projeto Dona, para beneficiar mulheres carentes de uma comunidade de Recife. Em entrevista à SBC Horizontes, as alunas explicaram a iniciativa: “Nosso projeto tinha o objetivo de gerar dados climáticos, por meio de sensores de temperatura e umidade, que pudessem auxiliar as mulheres do bairro de Passarinho no Recife, PE. Essas mulheres vivem perto de um rio na periferia da capital pernambucana e, como forma de sustento, plantam às margens desse rio. Queríamos gerar um protótipo que pudesse auxiliá-las no plantio e otimizar sua produção para a subsistência, além de utilizar o excedente para a geração de renda. Escolhemos Dona como nome do projeto para remeter a ideia de que as mulheres são donas de si, ou seja, independentes”, comentou Rhayane.

“O projeto propôs uma solução de monitoramento de produção, como frutas, legumes, verduras etc. O objetivo era fazer com que a produção estivesse interligada com os dados dos sensores de temperatura e umidade que estavam no campo e, assim através dessa coleta de dados fazer uma previsão do tempo levando estas informações para os supermercados. Com isso as mulheres podem maximizar a produção para a agricultura de subsistência”, disse Cleitianne.

A iniciativa foi escolhida como uma das três melhores pela organização do evento, garantindo premiação às alunas do IFCE. Além das alunas do IFCE, as alunas Letícia Mara Berto (UFSCar – Sorocaba) e Simony César (IFPB) integravam a equipe responsável pelo Dona.

A coluna SCIARÁ é atualizada quinzenalmente. Leia, opine, compartilhe, curta. Use a hashtag #Sciará. Estamos no Facebook (nossaciencia), Instagram (nossaciencia), Twitter (nossaciencia).

Se você ainda não leu a edição anterior leia agora.

Os comentários estão desativados.

Site desenvolvido pela Interativa Digital