Logo Nossa Ciência

Divulgação científica é o nosso negócio.

Terça, 22 de Agosto de 2017

Pesquisa Segunda, 29 de Maio de 2017

Formação superior e trabalho no RN

Pesquisa revela que maioria de egressos da UFRN atua na área de formação e ocupa cargos em instituições públicas

Pesquisa com egressos dos cursos de graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) entre os anos de 2010 e 2014, fruto da coleta de dados realizada em 2015, revela que num universo de 4.045 respondentes, que representam 22,7% do total, quase 70% estão trabalhando e, destes, 72,8% atuam na área de formação. O levantamento trouxe ainda a informação inédita de que 59,5% dos egressos possuem ocupação em instituições públicas e 40,5% em instituições privadas.

Os respondentes à pesquisa têm idade média de 29,3 anos, divididos entre 50,7% mulheres e 49,3% homens, com a maioria formada em 2014 – 29% do total. Esta é a segunda edição da coleta de dados, também realizada em 2013 com os egressos de 2008 a 2012.

O levantamento mostrou também que a pós-graduação é cursada por 46,1% dos egressos – 44,3% estudam especialização, 43,5% mestrado e 12,2% doutorado – e 20,6% iniciaram uma segunda graduação, sendo esta cursada na UFRN por 86,5% do total. Dos que estão na pós-graduação, estudam na UFRN 38,6% dos que cursam especialização, 87,2% dos alunos de mestrado e 72,4% dos doutorandos.

No comparativo com este primeiro levantamento, os dados de 2015 revelam que mais estudantes moram em outros países: enquanto na primeira pesquisa eram apontadas moradias em nove países distintos, o número pulou para 19 no levantamento mais recente. Apesar disso, quase a totalidade dos egressos está no Brasil, numa faixa de 98,7%, distribuídos entre 24 estados e 219 cidades. Do total, 90,4% continuam no Rio Grande do Norte e 56,6% estão em Natal.

Crescimento

As duas pesquisas apresentaram números quase iguais em questões como a contribuição da formação para o desenvolvimento no trabalho, considerada alta por 86,6% dos egressos de 2008 a 2012 e por 86,3% dos egressos de 2010 a 2014. O desejo de retornar à UFRN para outras atividades foi confirmado por 96,5% dos respondentes de 2015, em contrapartida aos 96,3% de 2013.

“Por fim, registramos crescimento entre os que consideram alta a imagem da UFRN, com um pequeno salto de 94,8% para 95,9%. Isso comprova que a instituição é considerada de qualidade pelos seus egressos”, assinala o assessor da Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan) responsável pela condução das pesquisas, professor Márcio Capriglioni. Para a reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, os resultados corroboram o cumprimento da missão institucional.

Márcio Capriglioni destaca que novos elementos foram inseridos nesta última coleta de dados. Além de especificidades sobre graduação e pós-graduação, surgem novos dados como a quantidade de egressos beneficiados por bolsas durante a graduação. Do total de respondentes, 66,4% receberam algum tipo de bolsa, seja de pesquisa, extensão, monitoria, apoio técnico, entre outras. O levantamento trouxe ainda a informação inédita de que 59,5% dos egressos possuem ocupação em instituições públicas e 40,5% em instituições privadas.

Terceira coleta de dados

Prevista entre as competências da Comissão Própria de Avaliação (CPA) na Lei nº 10.861/2004, a pesquisa com os egressos é regulamentada na UFRN pela Resolução nº 079/2004 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), que aprova o projeto de autoavaliação da instituição. A coleta de dados é realizada sempre no segundo semestre dos anos ímpares, desde 2013, e após a tabulação é disponibilizada para a comunidade interna e externa.

A pesquisa de 2010 a 2014 está na fase de apresentação nas unidades acadêmicas e será publicada em junho para acesso livre no Portal do Egresso.No segundo semestre deste ano, haverá a coleta de dados da terceira pesquisa, que abrangerá os egressos de 2012 a 2016.

Redação, com informações da Ascom/UFRN

Voltar página

Deixe seu comentário