Cotas aumentam presença de estudantes com deficiência na UFC Educação

segunda-feira, 2 abril 2018
O número de alunos com deficiência na UFC ainda pode aumentar (Foto: CCSMI/UFC)

Números consideram candidatos aprovados na chamada regular do Sisu de 2018

Pela primeira vez, a chamada regular do Sistema de Seleção Unificada, adotou cotas para pessoas com deficiência. No primeiro semestre de 2018, 131 candidatos com deficiência ingressaram na Universidade Federal do Ceará por meio do sistema. A maioria possui deficiência física (80), mas há também pessoas com deficiência visual (28), mental (13), auditiva (8) e múltipla (2).

Os números são parciais e se referem aos candidatos aprovados na chamada regular do Sisu, que solicitaram matrícula no mês de fevereiro para o primeiro e segundo semestres  deste ano e tiveram toda a documentação deferida.

O número de alunos com deficiência na UFC ainda pode aumentar (Foto: CCSMI/UFC)

Foram oferecidas vagas em 110 cursos de graduação presencial. Os números não incluem a licenciatura em Letras-Libras, que não participa do Sisu, pois sua seleção é feita por edital específico, também com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), mas com prioridade para pessoas com deficiência auditiva.

Antes da implantação das cotas, a universidade já tinha pessoas com deficiência em seu corpo discente. De acordo o Censo 2017.2, informado pela Secretaria de Acessibilidade UFC Inclui, 88 estudantes (computados os alunos do Curso de Letras-Libras) com deficiência estavam matriculados na instituição, a maioria deles (49) com deficiência auditiva. Os demais tinham deficiência visual (18), física (13), altas habilidades (7) e transtorno psiquiátrico/déficit de atenção (1).

Ações

Desde 2010, a Secretaria de Acessibilidade UFC Inclui já vem implantando uma política de inclusão na Universidade por meio de vários projetos e ações. Dentre inúmeras atividades, vem atuando nas seguintes práticas:

  • coordenação de estudos e pesquisas sobre acessibilidade e inclusão;
  • orientação e acompanhamento do desenvolvimento acadêmico de estudantes com deficiência e/ou transtorno do espectro autista, com atendimento a suas necessidades específicas;
  • organização e coordenação de eventos de formação e campanhas sobre inclusão na UFC;
  • produção e edição de recursos bibliográficos e informativos acessíveis às pessoas com deficiência sensorial;
    pesquisa e desenvolvimento de soluções em tecnologia assistiva (TA);
  • disponibilização de recursos de TA a estudantes e servidores da Universidade que necessitam desse recurso;
  • mediação da comunicação da pessoa surda nas diversas situações do contexto institucional, inclusive em salas de aula de graduação e pós-graduação.

Com informações da Ascom/UFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital