Paralisação dos caminhoneiros afeta federais Geral

segunda-feira, 28 maio 2018
Greve dos caminhoneiros afeta abastecimento das cidades. Foto Roberto Parizotti-Fotos Públicas

Quase todas as universidades federais do nordeste terão apenas serviços essenciais nessa segunda

Atualizada às 14h.

A paralisação dos caminhoneiros, iniciada há uma semana, afetou as atividades de várias das universidades nordestinas. Nossa Ciência apurou que a maioria das instituições decidiu pela suspensão das atividades nesta segunda (28). Apenas duas universidades federais vão manter normal o funcionamento de suas instalações, neste início de semana. Todas as demais manterão apenas o essencial.

As universidades federais do Rio Grande do Norte (UFRN) e do Ceará (UFC) terão atividades normais, mas na UFRN, a nota da Reitoria recomenda “a não realização de atividades de avaliação e a devida ponderação para sanar eventuais problemas de servidores e alunos com impossibilidade de locomoção”. Na UFC não haverá qualquer restrição de funcionamento, ao menos em Fortaleza. A justificativa tem “por base a garantia dada pela Prefeitura de Fortaleza e pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) de que o sistema de transporte mantém seu funcionamento normal”, explica a nota da instituição.

Abono de faltas

Na Federal da Paraíba (UFPB) não houve suspensão das atividades, mas a orientação é que professores e coordenações de ensino não realizem chamadas e atividades avaliativas e que chefias abonem o ponto dos servidores técnico-administrativos por atraso ou falta. Os restaurantes universitários e o atendimento ambulatorial do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW) terão funcionamento normal. Já as cirurgias eletivas do HULW serão remarcadas durante esta semana.

Em todas as demais universidades acompanhadas pela reportagem, haverá restrição total ou parcial atividades, especialmente acadêmicas. Na Federal de Pernambuco (UFPE) será mantido o funcionamento apenas do Hospital das Clínicas e da Superintendência de Segurança Institucional. As bibliotecas renovarão os prazos de entrega de material emprestado que venceu durante esses dias sem funcionamento normal. A UFPE promete que emitirá uma nota, às 14h, a fim de informar sobre o funcionamento da universidade na terça-feira.

Quase parado

Também foram suspensas as atividades acadêmicas, mas mantidas as atividades administrativas e dos Hospitais Universitários nas universidades federais de Campina Grande (UFCG), Sergipe (UFS) e do Piauí (UFPI). Em todas, porém há recomendações para as chefias imediatas considerarem a possibilidade de abonar eventuais atrasos e ou faltas ao trabalho dos servidores.

Demonstrando que o problema pode persistir, a federal da Bahia (UFBA) informa que mesmo com o possível arrefecimento da greve dos caminhoneiros, a partir dessa segunda as aulas de graduação e pós-graduação estão suspensas. Os demais serviços continuam sendo oferecidos.

Na federal do Maranhão (UFMA), estão suspensas as atividades acadêmicas e administrativas em todos os campi. a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) não informou sobre funcionamento nesta segunda.

UFAL

Uma nota foi publicada no site da Federal de Alagoas (UFAL) às 10h49, mantendo a normalidade das atividades nos três campi nessa segunda.  A nota acrescenta ainda que  pelo calendário acadêmico, as provas finais estão marcadas para o período de 28 a 30 de maio. “A administração central solicita aos docentes que avaliem a situação dos estudantes que se ausentarem por dificuldade com transportes, de forma a não prejudicá-los”, reitera.

Mônica Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital