RN tem planetário digital móvel

sexta-feira, 18 agosto 2017

Planetário Barca dos Céus, projeto da UFRN, oferece apresentações sobre astronomia para o público em geral

Conectar as pessoas aos lugares em que elas vivem, compreender o funcionamento do clima e do ambiente, perceber como os indivíduos estão inseridos no Universo, e entender melhor suas culturas são algumas das contribuições promovidas pelo conhecimento astronômico. Aliando ensino, pesquisa e extensão, o planetário Barca dos Céus, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), tem como objetivo principal popularizar esse tipo de conhecimento, fazendo com que as pessoas cada vez mais olhem para o céu e se conectem aos seus mais variados significados.

Desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa em Ensino de Física e Astronomia (GPEFA) do Departamento de Física Teórica e Experimental (DFTE), o projeto é um planetário móvel que existe desde 1999. Ele foi idealizado pelos professores aposentados do DFTE José Ferreira Neto e Luiz Carlos Jafelice e, a partir de 2013, passou a ter a coordenação da professora do DFTE Auta Stella de Medeiros. Ela conta que o planetário “não é apenas astronomia por astronomia. Na verdade, ele ajuda a levantar questões mais profundas que estão ligadas a conceitos como eternidade e infinidade e nos levanta questionamentos como ‘quem sou eu?’, ‘qual o meu lugar no mundo?’, ‘de onde viemos e para onde vamos?’, entre outras coisas”.

O projeto oferece apresentações sobre astronomia para o público em geral. Regularmente, o planetário recebe visitas de escolas das redes pública e privada de Natal e de regiões próximas. Além disso, visita cidades do interior do estado e, também, participa de eventos em locais públicos para disseminar a astronomia.

Barca dos Céus

O nome Barca dos Céus é originado da constelação da Barca que, em regiões interioranas do Rio Grande do Norte, é usada como um guia natural para saber quando vai chover. Além disso, segundos estudos, a Barca é uma constelação que africanos e indígenas utilizavam em suas observações do céu e no acompanhamento da passagem do tempo. Segundo a professora Auta Stella, “o nome Barca dos Céus é uma forma de valorizar os conhecimentos locais advindos do hábito antigo de olhar o céu e utilizá-lo em nossa forma de nos percebermos no ambiente”.

Atualmente, o projeto Barca dos Céus conta com a participação de 19 pessoas, em sua maioria estudantes dos cursos de Geofísica e Física da UFRN e, também, mestrandos do Departamento de Física Teórica e Experimental. Eles são os mediadores que fazem as apresentações do planetário, além de contribuírem na elaboração das sessões. Cada um desses mediadores tem uma função no projeto e, juntos, colhem os frutos da experiência. É o caso de Dênis Rocha, que é estudante do curso de Geofísica e integra o projeto há um ano. Para ele, a participação no projeto está “contribuindo bastante para a facilidade em lidar com o público, visto que eu sempre fui muito tímido. O planetário tem me ajudado bastante nisso, eu estou falando melhor e me comunicando melhor”.

Um dos problemas que o planetário enfrenta, no entanto, é que não possui um local próprio. Ele está funcionando, improvisadamente, no Laboratório de Pesquisa de Física e Astronomia (Lapefa), que é vinculado ao Grupo de Pesquisa em Ensino de Física e Astronomia. “Não é um local adequado. É importante a gente ter um espaço fixo próprio que, inclusive, poderia ser usado para mais outras coisas, como palestras, por exemplo”, explica a coordenadora Auta Stella.

Mesmo assim, o grupo consegue organizar suas apresentações normalmente. Periodicamente, os membros do projeto se reúnem para realizar pesquisas e elaborar as futuras apresentações e abordagens do planetário. Hoje, o Barca dos Céus conta com três apresentações temáticas, que foram cuidadosamente construídas com base em pesquisas e discussões de textos pelos integrantes do grupo. Os três temas, atualmente, abordados no planetário são: Viagem ao Sol, Reconhecimento dos Céus e Relações Céu e Terra Para os Índios Guaranis.

Como funciona

Associando conhecimentos específicos da astronomia, conhecimentos pedagógicos e comunicacionais, os mediadores responsáveis pelo planetário promovem apresentações cheias de interatividade e estímulo à imaginação do público, falando sobre as diversas constelações e seus diferentes significados. As sessões dentro do planetário duram entre 30 e 40 minutos, tempo em que as pessoas presentes aprendem um pouco sobre aspectos culturais ligados ao céu e, também, sobre conhecimentos da Física.

Os objetivos do planetário são fazer com que os visitantes entendam como a astronomia se relaciona com o meio ambiente, além de resgatar e valorizar conhecimentos tradicionais sobre o céu, estimular o contato das pessoas com o céu real e promover indagações que levam as pessoas a pensarem sobre o presente e o futuro do Universo.

Após a apresentação dentro do planetário, os visitantes são convidados a participarem de uma aula em uma sala à parte. Essa atividade funciona como um complemento da apresentação do planetário e o público tem mais espaço para fazer questionamentos e tirar suas dúvidas. Os mediadores responsáveis por essa apresentação utilizam objetos didáticos, como globos e maquetes do Sistema Solar, para reorganizar e complementar as informações passadas dentro do planetário. Também são utilizados telescópios para que os visitantes possam observar na prática o que eles aprenderam durante a sessão.

O planetário tem capacidade para receber de 35 a 40 pessoas por apresentação. No ano de 2016, cerca de 1740 pessoas assistiram as sessões promovidas pelo projeto. De acordo Wellington Araújo, estudante de licenciatura em Física da UFRN, e que faz parte do Barca dos Céus há um ano e meio, o planetário acaba proporcionando uma experiência nova para os visitantes. “Há muitas pessoas que nunca foram a um planetário, e ficam fascinadas quando olham as estrelas. O mais interessante é quando se dão conta de como é grande o Universo. Quando a gente participa de eventos em cidades do interior, por exemplo, vêm pessoas até de cidades vizinhas. inclusive, muitas que provavelmente não teriam a oportunidade de ver um planetário”, comenta.

Agendamento de visitas

Por ser um projeto de extensão e possuir como meta popularizar o conhecimento astronômico, o planetário Barca dos Céus constantemente recebe solicitações de visitas de escolas de Natal e regiões próximas, bem como chamados para participarem de eventos públicos científico-culturais. Todas as apresentações são gratuitas e o contato oficial do projeto é o e-mail planetarioufrn@gmail.com, por onde podem ser feitas as solicitações. Escolas interessadas em realizar visitas ao planetário podem entrar em contato através do e-mail citado acima ou acompanhar as atualizações e novidades do projeto em sua página no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital