Logo Nossa Ciência

Divulgação científica é o nosso negócio.

Terça, 22 de Agosto de 2017

SCIARÁ Quarta, 7 de Junho de 2017

Observatório Cearense da Cultura Alimentar é lançado em Fortaleza

Crédito: Divulgação

Esse é o segundo observatório do segmento no Nordeste e um dos poucos no Brasil

“De todos os atos naturais, o alimentar-se foi o único que o homem cercou de cerimonial e transformou lentamente em expressão de sociabilidade, ritual político, aparato de alta etiqueta.” (Câmara Cascudo)

Com o objetivo de se constituir como um espaço de elaboração de conhecimento, sistematização, análise e divulgação de dados concernentes às diversas cadeias de produção, consumo e difusão da cultura alimentar no Ceará, o Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS da Universidade Estadual do Ceará (Uece) lançou, no dia 30 de maio, o Observatório Cearense da Cultura Alimentar (OCCA). A iniciativa é fruto de parceria entre o PPGS-Uece e o curso de Gastronomia do Instituto Federal do Ceará (IFCE). O observatório tem como principais eixos de pesquisa as cadeias de produção, de circulação e de consumo do alimento, bem como processos de formação profissional na área. No lançamento, realizado no Museu da Indústria, estiveram presentes pesquisadores, estudantes, profissionais, chefs de cozinha e empresários.

Entre os propósito do OCCA, estão: fortalecer um espaço de elaboração de conhecimento, sistematização, análise e divulgação de dados concernentes às diversas cadeias de produção, consumo e difusão da cultura alimentar no Ceará, proporcionando a integração de estudos, pesquisas e formações profissionais numa perspectiva interdisciplinar e interinstitucional; criar um sistema online para monitorar informações, gerenciar e difundir dados; estimular e divulgar práticas e saberes concernentes a culinárias regionais; fomentar a realização de eventos científicos e apoiar a constituição de fóruns de discussão com enfoque nas políticas públicas voltadas para a conformação da cultura alimentar; subsidiar a elaboração de políticas desenvolvidas pela SECULT-CE e SETUR, em diferentes áreas de atuação que apresentem interface com a cultura alimentar e assessorar entidades públicas e organizações privadas da sociedade civil, assim como centros de produção de conhecimento e universidades.

O grupo, que se reúne semanalmente, às terças-feiras, sob coordenação da professora Kadma Marques, é composto por professores e estudantes dos cursos de Sociologia, Nutrição, Administração e Gastronomia da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Uece e do IFCE, chefs de cozinha e representantes de instituições ligadas à cultura alimentar.

A História da Alimentação ainda constitui um campo recente de investigação no Brasil. A Associação Brasileira de Antropologia mantém, desde a segunda metade dos anos 1990, um Grupo de Trabalho sobre Comida e Simbolismo, que aborda temas como regionalismos culinários; comida e simbolismo; cozinhas e religião, entre outros.

Gilberto Freyre e Câmara Cascudo, autores clássicos das Ciências Sociais e da Antropologia no Brasil podem ser citados como pioneiros no pensamento e realização de uma "sociologia contemporânea da alimentação brasileira, pesquisando sobre o modo do preparo de pratos regionais reafirmando hábitos e costumes culturais de comunidades e regiões periféricas do País", como afirma Talita Barbosa no artigo "Antropologia e gastronomia: a identidade de ser brasileiro a partir da alimentação ".

O Observatório Cearense da Cultura Alimentar (OCCA) é o segundo observatório do segmento no Nordeste e um dos poucos no Brasil.

Outras informações sobre o OCCA podem ser obtidas na página do observatório no Facebook:

"...Por outro lado, comida se refere a algo costumeiro e sadio, alguma coisa que ajuda a estabelecer uma identidade, definindo, por isso mesmo, um grupo, classe ou pessoa". (Roberto DaMatta)


A coluna SCIARÁ é atualizada quinzenalmente. Leia, opine, compartilhe, curta. Use a hashtag #Sciará. Estamos no Facebook (nossaciencia), Instagram (nossaciencia), Twitter (nossaciencia).

Se você ainda não leu a edição anterior leia agora .


 

Giselle Soares

Voltar página

Deixe seu comentário