Revendo o processo de colonização Diversidades

segunda-feira, 23 julho 2018
Peças que fazem parte do conjunto conhecido como Bronzes de Benin. (Fonte: Google).

Povos africanos exigem a devolução de suas riquezas culturais e objetos de arte mantidos em museus europeus. É o caso do conjunto Bronzes de Benin reivindicado pela Nigéria

Essa semana, o professor Ricardo Alexino Ferreira fala da ação de alguns países africanos que tem reivindicado a museus europeus a devolução de obras levadas de seus países no período colonial. É o caso da Nigéria que exige do Reino Unido a devolução de mais de mil peças conhecidas como Bronzes de Benin. Os museus britânicos, porém, se recusam a devolver o conjunto sugerindo apenas um empréstimo por tempo indeterminado e não a guarda definitiva.

“Simbolicamente, ao reivindicarem as suas obras, países como a Nigéria e outros estão revendo o processo de colonização e os roubos de vidas, de riquezas e cultura a que foram submetidos durante séculos”, avalia Alexino.

Ainda segundo o professor da USP, ao exigir a devolução das peças pelo governo britânico, muito mais que peças artísticas sequestradas pelos colonizadores eles estão criminalizando a colonização e a escravização. “Em um momento que se fala tanto em direitos internacionais, fronteiras geográficas e refugiados talvez os africanos deem outro sentido para esses termos”.

Ouça a coluna:

A coluna Diversidades é atualizada às segundas-feiras. Ouça, opine, compartilhe e curta. Use a hashtag #Diversidades. Estamos no Facebook (nossaciencia), Twitter (nossaciencia), Instagram (nossaciencia) e temos email (redacao@nossaciencia.com.br).

Ouça a coluna anterior: O negro como produtor de conhecimento

Ricardo Alexino Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital