Catálogo de espécies do RN é publicado em museu estadunidense Meio Ambiente

sexta-feira, 18 setembro 2020
O cajueiro é uma das espécies do Parque das Dunas

Museu de Chicago publica guia de campo do Parque das Dunas

“Este guia faz parte dos esforços do Laboratório de Botânica do Parque das Dunas, de elencar a sua flora nativa e faz parte, também, de uma série de guias que estão por vir. Estamos muito felizes e orgulhosos com a publicação desse trabalho”, comemora  o botânico responsável pelo Herbário Parque das Dunas e pelo setor de Flora dessa Unidade de Conservação, Alan Roque, sobre a publicação do guia de campo “Árvores do Parque das Dunas” no Field Museum de Chicago, nos Estados Unidos.

O guia de campo “Árvores do Parque das Dunas”, publicado pelo Field Guides Museum, traz fotografias de 50 árvores nativas que ocorrem no Parque Estadual Dunas do Natal “Jornalista Luiz Maria Alves”essa importante Unidade .

O Field Museum of Natural History é um museu de história natural situado na cidade de Chicago, Illinois. O local abriga mais de 20 milhões de espécies em coleção e foi incluído no Registro Nacional de Lugares Históricos em 1975, sendo considerado um dos maiores museus do mundo. Para o sentimento é de alegria em ter uma publicação em um importante museu, e que traz tantas informações relevantes sobre parte da biodiversidade potiguar.

Alan Roque durante trabalho de catalogação. (Foto Idema)

“Por ser uma publicação internacional, e em um museu referência, faz com que a diversidade do Parque das Dunas possa ser vista pelo mundo todo. Parabéns a todos que contribuíram na preparação e gratidão ao Museu pela publicação desse importante material”, afirma Alan.

O guia é fruto de dois anos de pesquisas e acompanhamento das espécies arbóreas do Parque. Entre as 50 espécies, temos a Anacadium occidentale (Cajueiro), Hancornia speciosa (Mangaba), Eugenia azeda (ubaia- azeda), Handroanthus impetiginosus (Ipê-roxo), Cordia superba (Grão-de-galo), Chamaecrista ensiformis (Pau-ferro).

“Para a elaboração do guia foi feito todo o acompanhamento das espécies de árvores, que envolveu o processo de coleta, fotografia, observação do período de floração e frutificação, inserção das amostras no herbário e identificação. O material é uma importante ferramenta de educação ambiental e uma forma das pessoas conhecerem a diversidade que existe no Parque. É a partir do conhecimento, do entendimento do que existe a nossa volta, que aprendemos a cuidar”, explica o botânico.

Alan Roque, acrescenta que, atualmente, a lista de espécies da flora do Parque das Dunas está em atualização e já ultrapassa a marca de 450 espécies, mais do que o dobro do que foi publicado no primeiro plano de manejo na década de 1980. “Esse é o primeiro guia de campo do Parque das Dunas e apresenta 50 espécies de árvores nativas encontradas dentro dos limites do Parque. Outros guias de campo, incluindo ervas, arbustos e trepadeiras estão em desenvolvimento”, ressalta.

O Herbário Parque das Dunas já obteve reconhecimento internacional ao ser indexado no Index Herbariorum, do The New York Botanical Garden. Sua coleção também foi disponibilizada on-line pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro. “O Parque das Dunas está em contato com especialistas na área de botânica de todo o Brasil, enviando e recebendo amostras, identificações e informações sobre a rica flora potiguar, fortalecendo o intercâmbio de conhecimento florístico brasileiro”, finaliza Alan Roque.

Ipê roxo também integra as espécies do Parque das Dunas. (Foto: Idema)

Guias de campo representam uma forma de engajamento com o mundo natural, seja por meio de pesquisa, conservação ou observação da natureza. São importantes ferramentas para educação ambiental e auxiliam pesquisadores e visitantes a obterem conhecimento a respeito da flora de um determinado local. São guias práticos, 100% gratuitos que podem ser impressos, plastificados e levados para observação em campo.

Além de Alan Roque e outros pesquisadores do Idema, a equipe responsável pela publicação conta também com os pesquisadores Marília Erickson, aluna de Mestrado na UFRN, Jomar Jardim, professora da Universidade Federal do Sul da Bahia.

Para conferir o guia, é possível baixá-lo gratuitamente na página do Field Guides, do Field Museum.

Fonte: Idema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital