Inventário da Fauna do Ceará Meio Ambiente

terça-feira, 2 março 2021
O levantamento possui quase 1.300 animais vertebrados documentados no Estado (Imagem: reprodução da internet)

Ferramenta que lista cerca de 1.300 espécies de animais registradas no Estado foi produzida por pesquisadores a partir de trabalhos de campo, coleções e publicações científicas

O Estado do Ceará agora passa a contar com uma importante ferramenta para ajudar a conhecer e a proteger os animais: o Inventário da Fauna do Ceará. O estudo, lançado nesta sexta-feira (26), apresenta um levantamento de quase 1.300 animais vertebrados que já foram documentados no Estado.

Realizado no âmbito do Programa Cientista-Chefe de Meio Ambiente em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Ceará (SEMA), o Inventário foi produzido por pesquisadores da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Universidade Estadual do Ceará (UECE) e da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (AQUASIS) a partir de trabalhos de campo, coleções e publicações científicas.

Até o momento, a lista apresenta 1.287 espécies, sendo 140 mamíferos (115 continentais e 25 marinhos), 133 répteis, 57 anfíbios, 443 aves e 502 peixes (400 marinhos e 102 continentais). A ideia é que o levantamento siga em constante atualização e que novas espécies sejam adicionadas quando registradas no Estado.

O coordenador-científico do Inventário, Hugo Fernandes, explicou que a publicação surgiu a partir da ideia de elaboração de uma Lista Vermelha da Fauna Ameaçada de Extinção do Ceará. “Há uns cinco, seis anos, começou uma articulação para fazer a lista de fauna ameaçada, que envolve um longo processo. Só que, para isso, a gente precisa saber o que tem no Estado, fazer uma lista geral”, contou, destacando a importância do levantamento para pesquisadores, estudantes, profissionais, consultores ambientais e agentes públicos.

Disponível no site da SEMA, o Inventário lista as espécies de animais registradas no Estado, destacando a metodologia utilizada para a catalogação e como pode ser citada em artigos e publicações científicas. Como o objetivo é manter o levantamento atualizado, é possível enviar contribuições para a Coordenadoria de Proteção Animal (coani@sema.ce.gov.br) fundamentando a sugestão com referências bibliográficas, fotos ou evidências.

A solenidade de lançamento contou com a participação do cientista-chefe de Meio Ambiente, prof. Marcelo Soares (à esquerda), e do coordenador científico do Inventário, prof. Hugo Fernandes (à direita).

Lançamento

Na solenidade de lançamento da publicação, que ocorreu no formato on-line devido à pandemia de covid-19, o Prof. Marcelo Soares, cientista-chefe de Meio Ambiente e docente da UFC, agradeceu à equipe que participou do projeto. “Ciência a gente faz em equipe, com um time. E nada melhor do que ter um time magnífico como esse que teve um desafio duplo: a pandemia e o fato de o Brasil e o Ceará serem uns dos lugares mais biodiversos do mundo”, comentou.

O vice-reitor da UFC, Prof. Glauco Lobo, chamou a atenção para a importância da publicação para a conservação da biodiversidade do mundo. “A preservação da nossa fauna tem uma importância tão grande porque eu considero que é a nossa preservação. Nós temos que ter muita consciência para a preservação do meio ambiente. Isso é vital para a sobrevivência digna do ser humano”, afirmou, parabenizando gestores e pesquisadores.

Presente ao evento, o diretor-científico da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP), Prof. Luiz Drude, destacou a qualidade das pesquisas e ações que estão sendo desenvolvidas no Estado. “Quando se compara a produção científica do Ceará, o que chama a atenção não é o aumento exponencial da quantidade, mas o aumento da qualidade. Hoje as pesquisas de biodiversidade do Ceará são publicadas nos melhores periódicos do mundo”, observou.

O superintendente estadual do Meio Ambiente, Carlos Alberto Mendes, revelou que a publicação ajudará a SEMACE a comparar estudos para licenciamentos ambientais. O titular da pasta aproveitou a oportunidade para anunciar um termo de cooperação com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) para a reabertura do Centro de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres (CETAS) em Fortaleza.

Finalizando a solenidade, o secretário do Meio Ambiente, Artur Bruno, destacou a articulação do poder público com a academia e o setor produtivo no Estado, como o programa de instalação do hub de hidrogênio verde, formalizado na semana passada pelo governador Camilo Santana.

“Hoje nós agradecemos a parceria com as universidades. Esses professores estão devolvendo à sociedade o que eles receberam das instituições públicas, das universidades públicas. O Estado investiu nesses pesquisadores e agora eles retribuem esse investimento com suas pesquisas que irão definir boas políticas públicas para o Estado do Ceará”, afirmou.

Fonte: Ascom da UFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital