Mineração comprometeu solo de bairros em Maceió Meio Ambiente

quarta-feira, 15 maio 2019

Proteção à população e a contingência do risco de desastre estão entre as prioridades das ações

No dia 08 de maio de 2019, especialistas do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) divulgaram Relatório conclusivo sobre a causa do comprometimento de solos do bairro do Pinheiro e áreas adjacentes, em Maceió (AL).

Esse texto publicado pelo site Letras Ambientais fala que a descoberta da causa da instabilidade do solo no bairro do Pinheiro e adjacências ocorreu após mais de um ano de estudos científicos, realizados pela CPRM. O laudo técnico foi recebido com grande expectativa pela população residente na área de risco.

O impacto socioambiental causado pela mineração de sal-gema, em Maceió, afetou pelo menos 30 mil pessoas do bairro do Pinheiro, Mutange e Bebedouro. De acordo com o laudo técnico conclusivo da CPRM, a movimentação de terreno na área é causada pela desestabilização das cavidades de sal-gema construídas em zonas de falhas e fraturas geológicas.

Dentre os fatores causadores da insegurança na atividade da mineração de sal-gema em Maceió, estão: falta de planejamento adequado à segurança da operação de exploração das lavras, negligência no licenciamento ambiental, ausência de fiscalização efetiva dos órgãos reguladores da mineração e normas inadequadas para o controle da atividade, culminando na autorregulação pela própria empresa.

Áreas em risco de subsidência abrangem pelo menos três bairros de Maceió.

Definindo soluções

A gestão do conflito socioambiental, instalado nos bairros de Maceió, precisa ser feita com diálogo e de forma amplamente negociada. Somente assim, será possível definir as soluções mais viáveis, social, política e economicamente, de acordo com os interesses dos atores envolvidos.

Todavia, não se deve esquecer que o problema deve passar, prioritariamente, pelas ações imediatas de proteção à população e de contingência do risco de desastre.

Assim, investir na gestão do risco de desastre é a medida mais urgente para garantir a segurança da população. Dentre as ações imediatas, estão: realizar previsões meteorológicas de alta precisão, obras estruturantes de saneamento básico e instrumentos capazes de mapear as áreas de risco aos moradores.

As causas do fenômeno geológico

O texto apresenta e explica de forma simples, os 9 principais fatos relacionados à causa do fenômeno geológico, que está comprometendo os bairros na capital alagoana.

1)      A mineração causou a instabilidade de terreno no bairro do Pinheiro e adjacências

2)      Um processo contínuo de subsidência ocorre no bairro do Pinheiro e adjacências
3)      O envergamento de alguns poços indicam colapso das cavernas de sal-gema
4)      O tremor de terra de março de 2018 não teve origem tectônica (natural)
5)      Desde 1975, foram concedidas licenças ambientais para mineração em áreas de falhas geológicas
6)      Houve negligência na fiscalização da segurança da mineração de sal-gema
7)      Bairros afetados estão dentro de uma bacia hidrográfica, com alta vulnerabilidade ambiental
8)      Previsão meteorológica de excelência é primeiro passo para evitar desastre geológico
9)      O mapa final da área de risco terá lacunas pela falta de acesso a dados das minas

Leia a matéria completa no site Letras Ambientais.

Fonte: site Letras Ambientais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital