Pesquisas para o SUS são avaliadas na Bahia Saúde

quinta-feira, 1 setembro 2016

Atraso na liberação do financiamento não comprometeu andamento de 24 pesquisas que buscam melhorar o Sistema Único de Saúde

Criado com o objetivo de buscar soluções que possam ser incorporadas ao Sistema Único de Saúde (SUS) Programa de Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde, do Ministério da Saúde, prevê que cada estado realize seminários de avaliação e acompanhamento dos projetos financiados com recursos do Programa. Na Bahia, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapesb) reuniu 24 pesquisadores, que são coordenadores dos projetos aprovados pelo edital de 2013.

Para a gestora do PPSUS baiano, Renata Matos, os projetos foram bem avaliados e estão cumprindo os objetivos a que se propuseram. “Foram feitas perguntas e sugestões, mas no geral, todos estão bem encaminhados”.  Ela informou que durante o seminário ocorreram debates sobre cada um dos projetos, com a proposição de ajustes e recomendações por parte das bancas formadas por especialistas em cada área avaliada. Os pesquisadores avaliadores vem de outros estados e também das próprias instituições da Bahia, convidados pela Fapesb.

As pesquisas em andamento já estão com mais da metade das suas etapas executadas. A gestora informou que apesar do atraso na liberação das duas parcelas do financiamento, a realização das pesquisas não foi comprometida. “Os pesquisadores relataram dificuldades em função do atraso do pagamento e isso acabou ajudando na liberação da segunda parcela, que está sendo paga agora.”

Entre as pesquisas apresentadas estava o estudo sobre a erros profissionais na área de saúde relacionados à precarização na área de enfermagem, coordenada pela professora da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Heloiza Oliveira Gonçalves Costa (foto). O estudo aponta uma relação bastante evidente entre a precarização dos serviços de enfermagem e a ocorrência de erros nas atividades profissionais.

O pesquisador do Instituto de Ciências da Saúde da UFBA, Gúbio Soares salientou a importância do seminário realizado. “Nós podemos demonstrar que o financiamento da Fapesb está sendo bem aplicado e que esse financiamento vai ser voltado à população. Os resultados são aplicados em benefício da sociedade”.

Soares também explicou o foco da pesquisa desenvolvida, a partir dos recursos do edital PPSUS. “Estamos fazendo um estudo de vírus em água do mar, principalmente, na cidade de Salvador, para demonstrar que a população está exposta aos esgotos não tratáveis. Nossa pesquisa compreende o subúrbio da capital baiana, onde a população é carente e vive de moluscos. Esses alimentos podem estar contaminados com vírus da hepatite A, Norovírus e Rotavírus”.

A professora da UFBA, do campus de Vitória da Conquista, Danielle Medeiros exibiu dados do projeto “Adolescer: Saúde do Adolescente da Zona Rural e seus Condicionantes”. De acordo com a pesquisadora, os resultados podem ser incorporados no planejamento para estratégias e das ações voltadas para adolescentes da zona rural. “O seminário é uma oportunidade única, tanto para que esses dados sejam apresentados entre profissionais de mesma área, como também está sendo um momento importante para a gente fazer contato com outros profissionais que trabalham com temas semelhantes”, falou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital