Startup no Ceará produz e beneficia proteínas de insetos para alimentação humana Inovação

segunda-feira, 14 junho 2021

Empresa criada por estudantes do Curso de Agronomia da UFC é a responsável pela iniciativa

Contemplados em 2020 no Programa Institucional de Bolsas de Inovação (PIBI 02, atual Empreende UFC), da Pró-Reitoria de Relações Internacionais e Desenvolvimento Institucional (PROINTER) da Universidade Federal do Ceará, os estudantes Carlos Alberto Nascimento Souto Júnior e Daniel da Silva Marte, ambos do 8º semestre do Curso de Agronomia da UFC, criaram a startup Protomega.

Os estudantes de Agronomia Daniel Marte (sentado) e Carlos Alberto Nascimento (em pé) criaram a startup Protomega com produtos alimentícios à base de insetos (Foto: Reprodução de vídeo/Canal Rural)

A ideia da Protomega surgiu no interior do Laboratório de Entomologia Aplicada (LEA), no Departamento de Fitotecnia da UFC. Para avançar, os estudantes participaram de formações e mentorias na área de empreendedorismo pelo PIBI 02.

Segundo o coordenador do LEA e orientador da startup, Prof. Patrik Pastori, a curiosidade dos alunos foi despertada antes da pandemia, nas aulas presenciais da disciplina Entomologia Agrícola, que abordou sobre controles biológicos e químicos de pragas agrícolas e o uso de insetos para alimentação em diferentes culturas e países.

O Prof. Patrik cita a parceria feita com o Prof. Rafael Zambelli, do Departamento de Engenharia de Alimentos, que auxiliou no processamento dos produtos. O coordenador vê boas perspectivas para o futuro profissional dos seus orientandos, que deverão se formar daqui a um ano. “Ficamos felizes quando os estudantes pensam em montar um negócio, algo que possa lhes servir de trabalho, porque quando eles saem do curso, saem com o emprego deles para gerar novos empregos. Como orientador, eu fiquei extremamente satisfeito e realizado por ver os dois se desenvolvendo, e pelo trabalho deles ganhar esse reconhecimento”, resume Pastori.

A iniciativa trabalha com a produção e o beneficiamento de proteínas de insetos para alimentação humana, entre eles a larva de Tenebrio molitor, uma praga agrícola conhecida no jargão popular como “bicho-da-farinha”.

Desenvolvimento

Segundo o estudante Carlos Alberto Nascimento, o contato com o tema da entomofagia (consumo de insetos) em eventos da Universidade e no cotidiano do laboratório possibilitou várias oportunidades de aprimoramento deste trabalho. No ano passado, a Protomega ficou entre as seis finalistas do programa de pré-aceleração StartupCE, do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE). Após entrevista ao Canal Rural, compartilha, surgiram convites para participação em podcasts e em programas de outros veículos de comunicação.

“O PIBI (atual Empreende UFC) foi de fundamental importância para a consolidação da startup, porque foi através dele que a gente aprendeu muito sobre empreendedorismo. Conseguimos dar corpo e forma para a Protomega, com técnicas, formas e metodologias para transformar a ideia em produto e levá-lo para o mercado”, afirma Carlos Alberto.

O chef de cozinha Lukas Marte, irmão do estudante Daniel da Silva Marte, já testou os produtos e irá levar a matéria-prima para a competição internacional Bocuse d’Or, a ser realizada este ano na França. Há experimentos culinários com insetos publicados no perfil da Protomega no Instagram. Após a formatura, os dois sócios pretendem ampliar e consolidar cada vez mais a startup. “A gente se imagina com a legislação para comercialização validada e inseridos no mercado estadual”, projeta Daniel Marte.

Fonte: Ascom da UFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital