A carta de Neil deGrasse Tyson ao Brasil Ciência Nordestina

terça-feira, 10 novembro 2020
Neil deGrasse Tyson

Astrofísico americano destaca conquistas científicas verde-amarelas que não são enxergadas e valorizadas pelos brasileiros

Para quem ainda não ouviu falar, Neil de Grasse Tyson é atualmente um dos maiores divulgadores de ciência no mundo. Astrofísico negro que escreve e põe beleza nas histórias como outrora fizeram Stephen Hawking, Carl Sagan e Richard Feynman, Tyson já publicou dezenas de livros dos quais considero “Origens” uma obra louvável, recomendada a todos os jovens que queiram vibrar com uma ciência viva e pulsante. Além dos livros, Tyson participa ativamente de programas de TV e documentários (como Cosmos).

E o destaque desta semana veio de uma carta dele e endereçada ao Brasil, intitulada “Letter to Brazil”.

Nesta carta, ele revela nunca ter visitado nosso país e cita as mais comuns referências à nossa nação: desde o futebol ao carnaval, passando pelas castanhas do Pará. Porém, o seu olhar atento o levou a cutucar todos nós quanto ao orgulho que deveríamos ter por outras conquistas bem mais complexas.

Nosso povo enaltece o penta campeonato de futebol mas não reserva o mesmo orgulho quanto aos feitos tecnológicos de gente que sonhou alto no passado.  O Brasil do samba e do futebol é também o Brasil da Embraer, Embrapa, ITA, das Universidades Públicas e Centros de Pesquisa… Este é o Brasil de Leite Lopes, Cesar Lattes, Mario Schenberg, Anísio Teixeira… Tyson percebeu que pelo menos metade dos voos domésticos que frequenta no Estados Unidos, o faz em aeronaves da Embraer…

E foi necessário que ele, lá do outro lado do continente, lesse as plaquinhas nos aviões e se perguntasse: Como os brasileiros não se orgulham por isto aqui?

A carta de Tyson é um alerta extremamente didático: na mesma medida em que escancara nosso complexo de vira lata, ele demonstra o completo desconhecimento de nosso povo para com as suas instituições.

Produzimos aviões para o mundo, atingimos a camada do pré sal, mas tudo o que nos orgulha é futebol e carnaval (pão e festa).

Este relaxamento (disfarçado de desconhecimento) facilita com que nossas empresas (produtos e cérebros) sejam entregues a preço de banana por aqueles que se autoproclamam “nacionalistas”. A ignorância e desinformação sempre favorecem todas as formas de “entreguismos”.

Resta-nos agradecer ao Neil deGrasse Tyson por esta gentil carta em forma de alerta. O Brasil pode ser muito mais. Queremos ser?

Veja a íntegra da carta em https://www.haydenplanetarium.org/tyson/letters/2020-09-10-letter-to-brazil.php#portuguese-version

A coluna Ciência Nordestina é atualizada às terças-feiras. Leia, opine, compartilhe e curta. Estamos no Facebook (nossaciencia), Twitter (nossaciencia), Instagram (nossaciencia) e temos email (redacao@nossaciencia.com.br). Use a hashtag CiênciaNordestina.

Leia o texto anterior: As redes sociais e a ciência

Helinando Oliveira é Professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) desde 2004 e coordenador do Laboratório de Espectroscopia de Impedância e Materiais Orgânicos (LEIMO).

Helinando Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital