As terminologias étnicas e os direitos da diversidade Diversidades

segunda-feira, 24 setembro 2018

O uso de termos corretos permite entender o outro como pessoa e não como coisa

Como se dá o processo de mudança nas terminologias étnicas? Na coluna desta semana, o professor Ricardo Alexino Ferreira explica que as terminologias adequadas são fundamentais na compreensão e respeito dos grupos das diversidades e implicam na compreensão de conteúdos de textos e pessoas.

Segundo ele, atualmente alguns termos tem sofrido mudanças como indígena, índio e tribo, negro, preto e mulato, por exemplo. “Tanto índio como tribo são considerados incorretos e preconceituosos, pois são termos coloniais que reduzem esses grupos a objetos e não sujeitos”, esclarece.

Outros termos têm sido repensados: leproso no passado, hoje é portador de hanseníase, o mesmo vale para o não uso da palavra aidético que deve ser substituído por portador de HIV ou sintomático ou soro positivo.

Ouça a coluna:

A coluna Diversidades é atualizada às segundas-feiras. Ouça, opine, compartilhe e curta. Use a hashtag #Diversidades. Estamos no Facebook (nossaciencia), Twitter (nossaciencia), Instagram (nossaciencia) e temos email (redacao@nossaciencia.com.br).

Ouça a coluna anterior: Frei Betto lança cartilha LGBT+

Ricardo Alexino Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital