Pesquisa-Ação: troca de saberes acadêmicos e popular O Mundo que queremos

quinta-feira, 19 novembro 2020
Crianças na Associação Comunitária Reciclando para a Vida (ACREVI).

É possível a comunidade se mobilizar para encontrar meios de transformação social com o apoio cientifico da universidade e promover a troca de saberes de modo participativo

A Pesquisa-ação e a transformação social dos (as) catadores (as) de materiais recicláveis é o tema de um livro recentemente publicado pela Editora Livraria da Física da série Futuro Sustentável. A obra é organizada por Nildo da Silva Dias, Helen Flávia de Lima, Cleyton dos Santos Fernandes, Márcia Regia Farias da Silva e Francisco Souto de Sousa Junior e, será lançado no dia 27 de novembro de 2020, na programação científica da campanha Natal sem Fome da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, transmitido ao vivo pelo canal ODS Agenda 2030.

Na primeira parte do livro, os autores descrevem, em 07 capítulos, a metodologia e os resultados das ações da pesquisa desenvolvida na Associação Comunitária Reciclando para a Vida (ACREVI) – uma associação de catadoras de materiais recicláveis e reutilizáveis situada no município de Mossoró, RN, que em uma análise situacional do contexto da pesquisa, a coleta seletiva era a única fonte geradora de renda para a ACREVI e, embora fosse uma atividade comprovadamente lucrativa, os seus associados enfrentavam dificuldades financeiras, pois, naquela ocasião, a renda mensal das catadoras era de apenas R$ 300,00 (trezentos reais) – abaixo da pobreza extrema, conforme limite estabelecido pela ONU.

Deste modo, a pesquisa-Ação foi aplicada na ACREVI na perspectiva de buscar soluções que promovessem o aumento da renda por meios da estruturação e gestão das atividades de coleta seletiva e, ainda, por ações de inovação voltadas para o empreendedorismo que, por meio da inovação e da aprendizagem coletiva, fomentassem a criação de outras oportunidades lucrativas na associação. Além disso, o projeto realizou ações de educação ambiental, esporte e, segurança alimentar e nutricional com filhos e netos de catadores.

Na segunda parte do livro, os autores colaboradores descrevem teoricamente temas relevantes sobre gerenciamento dos resíduos sólidos no Brasil como coleta seletiva, economia solidária em associações de catadores, educação ambiental, segurança do trabalho dos catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis, o empreendedorismo, etc.

A pesquisa-Ação é um conjunto de ações de pesquisa que estabelece uma horizontalidade e reciprocidade entre o conhecimento científico acadêmico e o saber popular que, busca soluções aos problemas enfrentados pelas comunidades, em que, cada um, precisa dar a sua contribuição. Essa pesquisa pode ser aplicada em diversos contextos, entretanto, a universidade deve priorizar as comunidades pobres que sofrem com as desigualdades sociais. É importante ressaltar que, não é solução populista – ações de caridades, mas um conjunto de base em que a comunidade se mobiliza para encontrar meios de transformação social com o apoio cientifico da universidade que promove a troca de saberes de modo participativo.

No contexto científico, o tema abordado neste livro nos remete a falar sobre a importância do papel das universidades como mecanismo de transformação e progresso social. Porém, ainda há muitos obstáculos no meio acadêmico para praticar a Pesquisa-ação, uma vez que os padrões dominantes valorizam outras concepções de ciências que não se preocupam com os problemas locais. Deste modo, o pesquisador precisa obter condições institucionais favorável para praticar no ensino, na pesquisa e na extensão atividades que interessam ao povo e às comunidades periféricas rurais e urbanas.

Evidentemente, o gerenciamento de resíduos sólidos é um dos maiores problemas a serem enfrentados por um gestor público, representando, portanto, uma questão de qualidade de vida e desenvolvimento econômico. Uma cidade que não consegue gerenciar eficientemente os resíduos que produz, dificilmente será capaz de administrar outros serviços mais complexos como saúde, educação e transporte.

Apesar da importância do trabalho dos catadores (as) de materiais recicláveis e reutilizáveis para o gerenciamento eficiente dos resíduos sólidos urbanos, estes ainda vivem em um contexto de segregação e exclusão. Os relatos descritos em cada capítulo do livro podem servir de inspiração aos pesquisadores, docentes e discentes de graduação e pós-graduação que trabalham em prol da qualidade de vida e da sustentabilidade socioambiental e, especialmente, do bem-estar das catadoras e catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis.

A coluna O mundo que queremos é atualizada quinzenalmente às quintas-feiras. Leia, opine, compartilhe e curta. Use a hashtag #omundoquequeremos. Estamos no Facebook (nossaciencia), Twitter (nossaciencia), Instagram (nossaciencia) e temos email (redacao@nossaciencia.com.br).

O próximo texto será publicado em 03 de dezembro de 2020.

Leia o texto anterior: Fome Zero

Nildo da Silva Dias é Professor Associado da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa).

Nildo da Silva Dias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital