Funpec completa 40 anos com planos de modernização Geral

sexta-feira, 31 agosto 2018
Foto: Roma Costa/Nossa Ciência

Aproximar as demandas da sociedade e as competências da universidade é o grande desafio da fundação para os próximos anos

“Nosso desafio é fazer a ligação entre a necessidade da sociedade e a competência da universidade”. Dessa forma o professor André Laurindo Maitelli, diretor da Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura – Funpec – resumiu a missão da instituição que acaba de completar 40 anos de existência. Como parte das comemorações, foi realizado no dia 22 de agosto, no auditório da Reitoria da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) o “Workshop 40 anos Funpec”. No evento foi apresentado um histórico da fundação ao longo de quatro décadas, mostrando o trabalho de apoio à ciência, tecnologia e inovação do Estado.

Além da retrospectiva, o professor Maitelli falou da contribuição da fundação para com a UFRN e o desenvolvimento do RN. Ele apresentou o projeto Modernização do SIG Fundação, o novo layout e aplicativo para dispositivos móveis, e também o Portal da Transparência. “Acho que qualquer instituição tem que estar sempre pensando nisso em se modernizar, em expandir suas atividades. E é nesse sentido que a fundação está atuando. Hoje o panorama é que boa parte, quase toda totalidade dos projetos da Fundação são de iniciativa dos pesquisadores que nos procuram para executar o projeto. Queremos de certa forma inverter um pouco isso, fazer com que uma parte dos projetos seja captada diretamente nas empresas, com prefeituras, governos de forma a atender as necessidades da sociedade”, afirmou.

Aos 40 anos, Funpec quer se modernizar

De acordo com Gleydson Lima, SEO da ESig Software, responsável pelo projeto de modernização do SIG Fundação, a ideia foi ter uma interface mais leve. “O portal do coordenador foi repaginado e pode ser utilizado em diferentes dispositivos como celulares, tablets, laptops e desktops”, explicou. Ele conta ainda que o portal traz uma novidade: um chat para ajudar a tirar dúvidas. Durante a transição dos modelos, serão mantidas no portal as duas versões de acesso.

Para os novos pesquisadores

Em entrevista para o Nossa Ciência, o diretor da Funpec afirmou que a modernização vai ajudar a aproximar as empresas da universidade. “Muitas vezes a gente tem uma necessidade para uma empresa ou para determinado órgão e uma competência na universidade só que um não conhece o outro. Então, o desafio é você fazer a ligação entre eles, entre a necessidade e a competência. Isso pode garantir não só o atendimento de demandas da sociedade, das empresas como também mais recursos para a Fundação. Acho que esse é um ponto importante, inclusive foi isso que a universidade nos solicitou desde que assumimos a direção da fundação”, declarou Maitelli.

Foto: Roma Costa/Nossa Ciência

Segundo o professor Maitelli (foto), o workshop foi um evento pensado para o grande público e também para os novos pesquisadores e seus projetos. “A ideia foi dar a oportunidade de o público, a sociedade de uma forma geral conhecer melhor a fundação. Já tivemos outros eventos, mas nesse workshop o objetivo foi divulgar a fundação, divulgar as atividades e também apresentar as formas pelas quais os novos pesquisadores podem atuar junto com a fundação”, acrescentou.

Representando a Pró-reitoria de Planejamento (Proplan), o professor Jorge Dantas de Melo, pró-reitor adjunto, falou da atuação do órgão como elo da UFRN mais próximo da Funpec quando se fala no apoio aos projetos acadêmicos. “Atuamos quando o pesquisador da universidade tem necessidade de firmar parceria com uma instituição para fins acadêmicos. É nessa ação que, na maioria das vezes, pode envolver a Funpec”, contou.

Menos burocracia

Ele apontou a base legal como o grande entrave na hora de captar recursos para os projetos: são três leis e um conjunto de resoluções internas da universidade que estabelecem os procedimentos para a captação dos recursos. “A Funpec retira do coordenador do projeto certas tarefas administrativas e financeiras o que dá maior agilidade aos trâmites”, avaliou o pró-reitor adjunto da Proplan.

Apesar do grande volume de exigências legais, o diretor da Funpec declarou que há um esforço da fundação para minimizar a burocracia. “É lógico que nesse processo todo temos que ter cuidado com a legislação a seguir. Tudo tem que ser bem analisado pela universidade, autorizado para que tudo seja executado de acordo com a legislação. Mas por outro lado a fundação tem atuado junto com a universidade para minimizar, para tornar mais célere esses processos e nesse sentido temos de fato reduzido a burocracia fazendo com que uma demanda seja atendida mais rapidamente pela fundação em parceria com a universidade”.

O workshop foi aberto ao público, com foco nos professores, estudantes e toda a comunidade acadêmica. Representantes do Sebrae/RN e do Ministério da Saúde participaram do evento e falaram de suas relações de parceria com a Funpec.

Edna Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital