Solstício de inverno #HojeÉDiadeCiência

sexta-feira, 22 junho 2018
Foto: Danilo Pivato

O colunista nos lembra para aproveitarmos a nova estação de inverno, que começou no dia 21, e para não esquecermos de cuidar muito bem da nossa Espaçonave Terra

Não vestimos roupas de astronauta nem saímos por aí flutuando pelo espaço, mas cada um de nós é tripulante de uma grande espaçonave, que todos os anos percorre mais de novecentos e vinte milhões de quilômetros pelo espaço.

Estamos falando da “Espaçonave Terra”, que se move em torno do Sol enquanto este nos leva, junto com todos os demais integrantes da grande família solar, num longo passeio pela galáxia.

Como todos os corpos celestes estão se movendo, inclusive o Sol, não estamos simplesmente dando voltas num mesmo lugar. O caminho que percorremos todos os anos, e que chamamos de órbita, nos leva – a rigor – a um pedacinho diferente do espaço sideral a cada ano.

Neste mês estaremos passando pelo primeiro solstício do ano. Esse termo vem do latim solstitium, e significa parada do Sol. Ao pôr do Sol do dia 21 de junho o astro-rei esteve em seu maior afastamento do ponto cardeal Oeste. Como é o início do inverno no hemisfério Sul, o Sol está deslocado para o Norte.

As estações do ano são opostas em cada hemisfério da Terra. Isto é, quando é verão no hemisfério Sul, é inverno no Norte. No dia 21 de junho precisamente às 7h e 7min começou o inverno austral. Essa estação vai durar aproximadamente 94 dias.

Para entender melhor o que é um solstício imagine-se em um local de onde todos os dias, à tardinha, você observa o Sol se pôr no horizonte. A primeira coisa percebida é o que Sol não está se pondo exatamente no Oeste, como talvez você esperasse.

A cada dia você constata que o pôr do Sol ocorre num local um pouquinho diferente e decide usar um ponto de referência fixo para assinalar a posição em que o Sol está se pondo no horizonte. Após um ano, você percebe que o Sol fez um movimento de vai e vem no horizonte e três pontos têm maior interesse em suas marcações na cerca (na verdade, trata-se de um movimento aparente: não é o Sol quem está se movendo, mas o nosso planeta em volta dele).

No dia em que começou o verão, o Sol estava mais ao sul, e este foi também o dia mais longo do ano. Quando o inverno começou o Sol estava deslocado para o norte, e a noite foi a mais longa de todo o ano. Assim, você identificou os solstícios, quando o Sol parece ter parado no horizonte.

Os solstícios apenas assinalam o início do inverno e do verão. O motivo pelo qual as estações existem está no fato da Terra ter seu eixo de rotação inclinado em cerca de 23 graus com relação ao plano de sua própria órbita. Você com certeza já reparou que os globos terrestres à venda nas papelarias são inclinados. Bingo: é isso!

Aproveite a nova estação enquanto continua sua jornada em volta do astro-rei. E não se esqueça de cuidar muito bem da sua “Espaçonave Terra”.

Gostou da coluna? Do assunto? Quer sugerir algum tema? Queremos saber sua opinião. Estamos no Facebook (nossaciencia), Twitter (nossaciencia), Instagram (nossaciencia) e temos email (redacao@nossaciencia.com.br). Use a hashtag #HojeeDiadeCiencia.

Leia o texto anterior: Astronomia e futebol

Leia também: Astronomia Zenite

José Roberto Vasconcelos Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital