A cartilha da história da ABC: Do passado para o presente Coluna do Jucá

quinta-feira, 24 maio 2018

Ciência em versos: um resgate da história da Academia Brasileira de Ciências

Mais de 100 anos se passaram e, nem de longe, foram de solidão
Ao contrário, simbolizam os bons ventos e a soberania de uma nação
A Academia Brasileira de Ciências (ABC) ensinou uma cartilha que é pura inspiração
Nesta multiplicaram-se não apenas grupos de pesquisa, artigos e doutores
Acrescente-se aí mobilização, desenvolvimento, educação e muita inovação

Ou você acha que na terra brasilis
Onde há tanta tecnologia de ponta, pré-sal, aeronaves e grãos
Não há inovação??!
Esta não é invisível, ao contrário
Expõe-se por meio do pensamento independente e crítico
O qual sempre é abençoado pela razão

A Primeira Grande Guerra serviu de prelúdio
Como consta no resumo da época da sua Ata de Criação
Nasceu, assim, no mês de maio
A Sociedade Brasileira de Ciências
Cuja natureza destinou-se ao progresso e ao engrandecimento da nação

Da Escola Politécnica para a Biblioteca Nacional
Lá do Rio, os horizontes se expandiram passando por Sobral
O eclipse solar e a Teoria da relatividade se curvaram e anunciaram
Diante dos olhos do mundo o surgimento de duas celebridades
Era Einstein do lado de lá
E a ABC do lado de cá

Do lado de cá teve muito mais que expansão e consolidação
Teve comemoração pelo centenário da Independência
Com os 12 minerais descobertos por José Bonifácio virando exposição
Do engajamento pelo rádio para todos nem se imaginava a televisão
A Rádio Sociedade anunciou e deu as boas-vindas aos visitantes medalhões
Eram Albert Einstein e Marie Curie na ABC
Era a ciência de alto nível propagada pela radiodifusão

Por sua enorme utilidade pública, o Getúlio a reconheceu
Por meio da ciência e da educação, era uma ABC de pura interação
Da fundação da Universidade de São Paulo (USP)
Ao Simpósio Internacional sobre Raios Cósmicos, era tanta discussão
Que no período da guerra até sobre as armas nucleares se envolveu
A partir do pós-guerra, a institucionalização da ciência no Brasil começou a ocorrer
Era a ABC vendo nascer e florescer

Do CNPq, CAPES, ITA, Inpa, IMPA, PETROBRAS, CNEN, SUDENE, até a fundação da SBPC
Era a ciência abrindo o caminho do desenvolvimento
Que belo momento, celebravam os nacionalistas da nação
Os bons ventos trouxeram ainda muita coisa boa
Finep, EMBRAER, EMBRAPA, INMETRO e LNCC
Mas o regime da época perseguiu alguns cientistas
E a outros até cassou
Uma postura discreta e cuidadosa
A ABC já com meia idade adotou

A redemocratização, enfim, o país alcançou
Até um ministério para chamar de nosso
O Ministério da Ciência e Tecnologia
Da iniciativa da ABC e do CNPq
A sociedade ganhou

Depois veio a Carta Magna cidadã
Um capítulo inédito dedicado à ciência e tecnologia
A nação ganhou
A pesquisa científica básica
Bem público para o progresso das ciências
Um novo patamar alcançou

Para aqueles que sacrificam e impõe duros retrocessos à ciência
A ABC representa resistência e inspiração
Ela sopra bons ventos que impulsionam a soberania da nossa nação
Por isso, o recado é muito simples
São 102 anos de História para contar
As vozes que dela ecoam nunca param de reverberar

Referência:

Ciência no Brasil – 100 anos da Academia Brasileira de Ciências. Coordenadores: José Murilo de Carvalho e Ideu de Castro Moreira. Academia Brasileira de Ciências, 2017.

A Coluna do Jucá é atualizada às quintas-feiras. Leia, opine, compartilhe, curta. Use a hashtag #ColunadoJuca. Estamos no Facebook (nossaciencia), no Instagram (nossaciencia), no Twitter (nossaciencia).

Leia o texto anterior: As mudanças na lei dos agrotóxicos

Thiago Jucá

Os comentários estão desativados.

Site desenvolvido pela Interativa Digital