Resgate de trabalhadores da “escravidão voluntária” pela apicultura SCIARÁ

quarta-feira, 27 junho 2018
(Foto: Secitece)

O projeto Mel e vida vai beneficiar trabalhadores da produção de carvão e do desmatamento irregular, no Ceará

Antes vítimas da “escravidão voluntária” na produção de carvão e no desmatamento irregular, os moradores do Assentamento do Papel, no município de Paramoti, a 101 km de Fortaleza, conseguiram novo ofício na apicultura. Inicialmente, 53 famílias serão beneficiadas, mas o projeto poderá, no futuro, beneficiar até 158 famílias. O Instituto Centec e a Comunidade das Nações são parceiros da iniciativa.

O secretário adjunto da Secitece, Francisco Carvalho, destaca que além de promover a geração de renda para os trabalhadores, o “Mel e vida” evita a exploração desenfreada da mata nativa local.

Os moradores do Assentamento do Papel estão recebendo capacitação, com apoio de técnicos da Secitece que orientam a comunidade sobre a qualidade e a comercialização do produto.

O técnico da Secitece Arquimedes Barreto, explica que o projeto está levando à comunidade uma base de processamento que inclui equipamentos para a “casa do mel” e reboque para manejo das colmeias.

Mais informações sobre o “Mel e Vida” podem ser obtidas no site da Secitece ou pelo telefone (85) 3101-6445.

A coluna SCIARÁ de Giselle Soares é atualizada semanalmente. Leia, opine, compartilhe, curta. Use a hashtag #Sciará. Estamos no Facebook (nossaciencia), Twitter (nossaciencia), Instagram (nossaciencia).

Leia o texto anterior: Tijolo ecológico: construir sem agredir o meio ambiente

Giselle Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital