O outono austral #HojeÉDiadeCiência

sexta-feira, 22 março 2019

É a variação da irradiação solar durante um ano que interfere sensivelmente no clima do planeta, dando origem as estações

A moda é verão, o calor é ainda intenso e o frio distante. Mas o fato é que por volta das dez horas da noite do dia 20 de março o verão termina para dar lugar ao outono austral, isto é, o outono do hemisfério Sul da Terra (primavera ao Norte do equador).

Habitantes de países tropicais como o Brasil têm dificuldade em “aceitar” as quatro estações, verão, outono, inverno e primavera, pois este ciclo só se mostra mais claramente nas regiões subtropicais do planeta, entre o Trópico de Capricórnio e o Círculo Polar Antártico e entre o Trópico de Câncer e o Círculo Polar Ártico.

Climas variados

Parte do território brasileiro é subtropical. São os Estados do Sul, onde o outono e a primavera são mais notáveis. O outono é uma estação de transição entre verão e inverno, e no Brasil ela acaba acumulando características de ambas, ou seja, mudanças rápidas no clima, nevoeiros e algumas geadas nas regiões serranas do Sudeste e do Sul.

No Sul, Sudeste e parte da região central do país as temperaturas durante o outono ficam mais amenas porque geralmente nessa época chegam massas de ar frio. Mas no Nordeste quase não se distinguem mudanças em relação à estação anterior, o verão.

Durante o outono as chuvas diminuem em boa parte do Brasil, com exceção do extremo norte das regiões Norte e Nordeste e também à leste da região Nordeste, onde começa um período mais chuvoso. Aliás, essa é uma característica curiosa (mas não única) do clima no Brasil: o inverno no Sudeste é frio e seco, ao contrário do que ocorre no Norte e Nordeste, onde o inverno é úmido (chuvoso) e a temperatura média sofre apenas uma pequena redução.

O verão brasileiro, que começa geralmente em 21 ou 22 de dezembro e costuma ser chuvoso na região Sudeste, diferentemente do verão no litoral nordestino, onde chove pouco e o calor é intenso. Tudo isso é característica da posição que o nosso país ocupa no planeta, aproximadamente entre os paralelos 4º Norte e 33º Sul, associado a condições geográficas de cada lugar.

Note que a Europa, por exemplo, está inteiramente acima do paralelo 36º Norte. Tal posição é a principal responsável por aquele outono “clássico” de folhas caídas e temperatura em declínio na maioria das regiões do continente. Mas lembre-se: não é outono na Europa. Dia 20 de março começa a primavera por lá.

Origem das estações

Os globos terrestres que vemos à venda nas papelarias não estão inclinados à-toa. A Terra de fato percorre sua órbita em torno do Sol inclinada em cerca de 23° – e é por isso que existem estações.

Assim, nada mais equivocado que imaginar que é verão porque a Terra está mais perto do Sol, e inverno porque nos afastamos. Se assim fosse, não faria sentido termos verão e inverno ao mesmo tempo no planeta, uma estação em cada hemisfério.

Graças aquela inclinação de 23º os hemisférios Norte e Sul não recebem a mesma quantidade de irradiação solar durante um ano. E é essa variação que interfere sensivelmente no clima do planeta, dando origem as estações. A geografia local apenas ajuda, dando um “toque pessoal” ao clima de cada região. Por falar nisso, como está o seu clima agora?

Gostou da coluna? Do assunto? Quer sugerir algum tema? Queremos saber sua opinião. Estamos no Facebook (nossaciencia), Twitter (nossaciencia), Instagram (nossaciencia) e temos email (redacao@nossaciencia.com.br). Use a hashtag #HojeeDiadeCiencia.

Leia o texto anterior: Setestrelo

Leia também: Astronomia Zênite

José Roberto Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital