Segmentos da diversidade e direita: uma relação incompatível Diversidades

segunda-feira, 20 agosto 2018

Crescimento da cultura da direita tem atraído indivíduos do segmento das diversidades. Mas qual seria o lugar desses indivíduos na ideologia conservadora?

Na coluna desta semana, o professor Ricardo Alexino Ferreira analisa a presença de indivíduos que pertencem a grupos das diversidades, tais como negros, LGBT+, mulheres e outros, em legendas de pensamento de direita. Ele questiona: Qual o lugar dos indivíduos das diversidades dentro da ideologia da direita?

De acordo com Alexino, os princípios do pensamento da direita são o da heteronormatividade e do etnocentrismo, voltado para as necessidades do homem branco, cristão e heterossexual. “É de total incoerência que indivíduos de segmentos das diversidades possam ser aderentes ao pensamento de direita. É aquilo que se pode chamar de dar um tiro no próprio pé”, argumenta.

Ainda segundo o professor da USP, indivíduos da direita apresentam um discurso desqualificando políticas afirmativas e exaltando a meritocracia, pensamento liberal, a livre iniciativa e o estado mínimo, não admitem cotas, leis específicas para a homofobia e o aborto, por exemplo. “Indivíduos das diversidades que aderem ao pensamento conservador da direita tendem a sofrer a antropofagia. Isso porque o pensamento da direita é incompatível com a agenda das diversidades”, afirma Alexino.

Ouça a coluna:

A coluna Diversidades é atualizada às segundas-feiras. Ouça, opine, compartilhe e curta. Use a hashtag #Diversidades. Estamos no Facebook (nossaciencia), Twitter (nossaciencia), Instagram (nossaciencia) e temos email (redacao@nossaciencia.com.br).

Ouça a coluna anterior: Estereótipos reforçam discriminações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital