Rosa Parks e a luta pelos direitos civis dos negros Diversidades

segunda-feira, 17 junho 2019

A atitude dessa mulher negra mudou o sistema segregacionista dos EUA na década de 50

Em primeiro de dezembro de 1955, a costureira Rosa Louise McCauley, mais conhecida como Rosa Parks, praticou ato de desobediência civil ao se negar a oferecer seu assento em um ônibus para um homem branco, tendo sido presa por isso. O caso provocou a revolta dos negros do Alabama, nos EUA.

Nesse momento, mais de 50 lideranças negras se reuniram e iniciaram o movimento Boicote aos ônibus de Montgomery, que durou 381 dias, contra o segregacionismo em transportes públicos que os negros sofriam. Mais de 40 mil negros usavam os ônibus para o deslocamento ao trabalho. Com os prejuízos, a Suprema Corte estadunidense encerrou o Caso Rosa Parks e decretou ser inconstitucional a segregação entre brancos e negros nos ônibus.

Segundo o professor Ricardo Alexino Ferreira, a atitude de Rosa Parks possibilitou a organização dos movimentos sociais pelos direitos civis e surgimento de lideranças relevantes como Martin Luther King.

Ouça a coluna:

Crédito: Rádio USP

A coluna Diversidades é atualizada às segundas-feiras. Ouça, opine, compartilhe e curta. Use a hashtag #Diversidades. Estamos no Facebook (nossaciencia), Twitter (nossaciencia), Instagram (nossaciencia) e temos email (redacao@nossaciencia.com.br).

Ouça a coluna anterior: Quem foi Maria Beatriz Nascimento?

Ricardo Alexino Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital