A inPACTA e seu novo modelo de geração de negócios Empreendedorismo Inovador

quarta-feira, 23 outubro 2019
31 de Outubro: dia de fazer travessuras!

O dia das bruxas, 31 de outubro, foi a data escolhida pela incubadora para o lançamento de um edital com um novo modelo de geração de negócios

Surfando nessa onda de criação de startups desde 2002, aprendi algumas coisas:

  • Não temos como e nem porque filtrar qualquer ideia. Não existe um “ideômetro”. Logo, temos que verificar e validar, via implementação, as que nos são  apresentadas!
  • A competitividade é o melhor combustível para os empreendedores. Portanto, precisam estar em constante choque de ideias.
  • Temos de conhecer sobre aquilo que vamos cobrar, pois os produtos não podem sair melhores do que os moldes, como mostro em Um laboratório gerador de startups.
  • Se está todo mundo fazendo a mesma coisa, quem fizer diferente mostrará maior poder, pois trará algo novo. É o que eu explico em Incubadoras universitárias: indo na contramão. Entramos no ciclo da inércia e dos encontros-festa, em que se junta muita gente boa para promoção de hackathons non-sense, que levam à confecção de aplicativos tipo-UBER e derivados. Não se inova em estratégias, apenas imitação.
  • Que feito é melhor do que perfeito. Toda entrega e desenvolvimento são dinâmicos e precisam de realimentação. Portanto, não espere que o produto esteja perfeito: construa, meça, aprenda e recomece. Desenvolver um produto perfeito é garantia de estar dissonante do Mercado quando ficar pronto e a possibilidade de ter que dar um “Ctrl-Z” de altíssimo custo, quase inviabilizante. 
  • O conhecimento científico é a base de qualquer inovação sustentável. Criar coisas com baixo valor científico agregado garante a cópia instantânea.
  • Errar é humano. Para o empreendedor, obrigatório. Portanto, erre rápido.
  • A implementação de qualquer empreendimento não precisa começar em lugar físico, mas de um propósito bem desenhado ou ordem imaginada.
  • Que já há – na verdade, sempre existiu – um parque tecnológico com carência de soluções e com condições de investir em boas ideias, também conhecido por Mercado.
  • Que a inovação “puxa” a tecnologia e esta, por sua vez, puxa a ciência, e não o contrário.
  • Que, no tocante à inovação, a universidade brasileira está perdida .
  • Que quem gera tração é o networking. Estar em uma estrutura mercadologicamente isolada é garantir a morte negocial.
  • Que a empresa que mais lucrou com a onda dos “n” Canvas criados foi a 3M, dado ao aumento da venda de post-it. (Obrigado brother Marcos Oliveira por este “toque”).
  • Treino é treino, jogo é jogo. Quem nasce no Mercado foi, ou está sendo, validado no próprio Mercado, como aponto em Market inside Market.

Tem mais coisa. Porém, para não ficar cansativo, vou parar por aqui. E onde isso se encerra: em um novo edital de geração de negócios, antenado com o momento, no qual a inPACTA está prestes a lançar no dia das bruxas, 31 de Outubro próximo. Uma bela data para as coisas darem errado! Bom, se já vinha nessa linha mesmo, o erro do erro tem mais chance de ser um acerto!

Portanto, nessa “idosa” aula, ou melhor, aula condensada de Nº 65, vou descrever como iremos inovar no quesito – que agora eu chamo de antigo modelo – de incubação de empresas. Vou descrever nossa proposta de modelo em dois tempos. Será uma ideia lançada e, como afirmo lá no começo, não se pode refutá-la a priori. Vocês terão de testá-la. Apertem os cintos!

O primeiro tempo: avaliação e capacitação semipresencial ou Modo Bootcamp

Descrevemos a versão de educação proposta pela galera da inPACTA em Bootcamp, aprendizagem intensiva, acelerada e verdadeira em campo . Lá, propusemos um algoritmo de capacitação por imersão tutorado pelo advisors, a moçada empreendedora de Mercado e da Academia que está na base da inPACTA, e pelos próprios empresários interessados nas soluções que vão emergir daí. 

A coisa vai acontecer da seguinte forma:

  • Lançamos o edital de prospecção no dia 31.10.2019. Esse edital ficará 365 dias aberto.
  • Um baita time analisará e selecionará as propostas melhor estruturadas. Não as melhores ideias, pois não sabemos quais são. Vamos nos concentrar naquelas com começo, meio e fim.
  • Propostas filtradas, contato feito com o vivente empreendedor do outro lado da nuvem, damos início à capacitação Bootcamp, começando pelo encaixe das ideias ao que entendemos por Modelo de Ideia. Trabalharemos via plataforma Trello para o gerenciamento das tarefas e com o Slack para comunicação. Modelo redondo, marca-se um call ou uma visita à inPACTA para validação desta etapa que trabalhará, principalmente, o encaixe Problema-Solução. Chamamos esses encontros de Sprints. Nesses sprints, virtuais ou presenciais, serão avaliadas também a composição do time que tocará a ideia adiante.
  • Ultrapassada a “caixinha rosa”, vamos continuar a capacitação na linha de encaixe do Produto ao Mercado (caixinha azul). Mesmo procedimento: tome Trello-Slack com a moçada da inPACTA. A coisa andou (?), está com cara de MVP (?), conectaremos essa “coisa” ao(s) empresário(s) interessado(s). Nessa etapa, a validação terá de ser presencial.
  • Deu match? Massa: derramaremos nossos conhecimentos e esforços na linha de promover a Tração e a possibilidade de Escala de seu negócio. Nesta fase de match, o vivente empreendedor já estará alinhando sua solução ao propósito da empresa “mecenas”. Esse investidor poderá sugerir uma inovação em seu próprio ramo ou criar um novo negócio. Você poderá ser convidado a desenvolver esse novo negócio e ainda ser o próprio CEO da coisa toda, como fez nossa heroína Andressa, convidada para montar um spin-off induzido por uma empresa tutora, aventura que pode ser lida em A validação da ciência empreendedora inovadora

Tudo certo, como final de novela e filme de Dora Aventureira, vamos ao segundo tempo.

Metodologia de capacitação do Modo Bootcamp

O segundo tempo: a inserção nas empresas ou Modo in Company

Com a capacitação nos quesitos Problema/Solução e Produto/Mercado e protótipo ou MVP em mãos, vamos à fase “raiz” do processo: incubar a ideia na empresa interessada para trabalhar seu crescimento, ou Growth Hacking, pra ficar mais chic. Esta etapa recebe o nome de Modo in Company. A startup, projeto, grupo, receberá o convite de uma empresa para desenvolver sua solução indoor. Ela – vou chamar por startup – poderá estar fisicamente na empresa-alvo ou trabalhando em seu projeto de modo home-office. Em ambos os casos, estará vinculada à IncaaS, plataforma privada criada para dar apoio estratégico à startup, tanto para capacitações, networking, negociações com aceleradoras, transferência de tecnologia entre a startup e a empresa etc. Este processo, que pode ser visto na figura azul, é realimentado e contínuo. Prospectaremos pessoas interessadas onde quer que a Internet alcance. Daremos uma ajuda no que diz respeito à toda metodologia empreendedora-inovadora que temos disponível, somada ao aprendizado em campo e com os próprios atores do ecossistema (empresários, empreendedores, professores etc.) e abriremos nosso networking para a geração de tração útil.

Proposta para geração de novos negócios da inPACTA: Bye-bye old-incubação

Finalizando…

Claro que tudo não é tão simples assim. Isso nunca foi testado de forma plena. Como inPACTA, já validamos todas as etapas, mas não tudo junto. Apostamos em nosso arcabouço.

Parafraseando o cara que eu tenho como o maior empreendedor de nosso tempo, Elon Musk: “Se você não está fracassando, não está inovando suficientemente”!

Parafraseando-me: “Se está todo mundo fazendo a mesma coisa, quem fizer diferente mostrará maior poder, pois trará algo novo”. Desta forma, conto com vocês para mudarmos os rumos de nossa economia, nosso grau de empregabilidade e nossa forma de estudar e aprender o mundo. 

Feliz dias das bruxas pra gente!

Referências:

inPACTA

Trello 

Slack 

IncaaS

A coluna Empreendedorismo Inovador é atualizada às quartas-feiras. Gostou da coluna? Do assunto? Quer sugerir algum tema? Queremos saber sua opinião. Estamos no Facebook (nossaciencia), Twitter (nossaciencia), Instagram (nossaciencia) e temos email (redacao@nossaciencia.com.br). Use a hashtag #EmpreendedorismoInovador.

Leia a edição anterior: Dia das crianças: Terão as empresas que se transformar em centros de capacitação?

Gláucio Brandão é gerente executivo da inPACTA, incubadora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Gláucio Brandão

4 respostas para “A inPACTA e seu novo modelo de geração de negócios”

  1. Gostei MUITO !
    Bora conversar ?
    Abçs

  2. Pagandai V Pannirselvam disse:

    Muito boa usar ferrameta web open source , app muito boa , empresa inovacao tecnologicas sao mais complesxo , vale pena ter algo mais na web
    ferramenta modelafem simulacao para validar , verificar tants problemas , como solucao tecnologicas, integrado com objetivo economicas com menor ipactos
    tais ferramentas custa 20000 tais como modelagen sistema dinamico , temos consequido algo mais livre , mais facil acesso
    https://greentechbiomassabr.uservoice.com/forums/924163-gte20192user-team-workspace-projeto/suggestions/38817841-plano-de-neocios-ou-modelo-de-negocoios#comments

    https://InsightMaker.com/article/80922/modelo-de-negocios-miniempresa-sustentaval-emissao-zero

    tanto trello e tambem slack sendo uniicados como empreendedor pode integrar seu clientes , investidres , prof mentor tudo online , veja aqui um ferramenta mais abertos

    web app free open source online web
    https://tree.taiga.io/project/drbiopannirbr-projeto-de-produto/timeline

    Muito boa universidade faz mudanca mentalidade , sair zona de comforto , ajuda nosso eng , professional voltado para inovacao tecnologicas
    Estamos disosto juntas tudo jovens RN para um education tecnopreuer inovativa via educacao4,0 inclusivas , mais aberto , mais acessivel via ieee projeto e modelos de tech mba online via eng sem fronteiras caminho educao universal de eobusiness , producao limpas, energia limoas para RN como modelo de desenvolvimento sustentavel .

  3. Gláucio Bezerra Brandão disse:

    Salve Rogério!
    Manda a ordem lá no nosso grupo de zap da inPACTA, meu caro!
    Grande abraço

  4. Gláucio Bezerra Brandão disse:

    Saudações, mestre Pannir!
    Muito boas recomendações sobre software livre, assim como criar os MVPs com containers disponíveis.
    Vamos adotá-las!
    Grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site desenvolvido pela Interativa Digital